Da-Na

(redirected from Da Na)

Da-Na

An ancient Sumerian unit of length approximately equivalent to 10.8 kilometers.
References in periodicals archive ?
A superacao, e nao a ruptura, se da na medida em que a curiosidade ingenua, sem deixar de ser curiosidade, pelo contrario, continuando a ser curiosidade, se criticiza.
Um significado que nao e dado, que nao oferece compreensao e interpretacao imediata, mas que se da na construcao e na vida que essas imagens possuem nesse lugar particular, nesse mundo possivel de Sofia Borges; que so pode ser alcancado por um espectador atento e sensivel a toda carga do estetico e do fenomenologico a que esta exposto diante desses dialogos propostos pela artista.
Em relacao ao primeiro aspecto, sao objeto de consideracao os sentidos topologico e monologico do arquivo; sua desterritorializacao e reterritorializacao (que se da na passagem do privado ao publico) e o limiar do privado ao publico.
Ideologiju slicno definira i Verschueren (1999: 238) te dodaje da se radi o vjerovanjima i idejama koje se rijetko propituju i koje se medu pripadnicima neke zajednice cesto prenose implicitno, bez izravne formulacije, a zadatak analiticara jest da na temelju analize diskursne grade ekspliciraju ideologiju koja se proucavanim diskursom zagovara (Blommaert i Verschueren 1998: 191).
Um dos estudos que analisou este estagio da doenca foi o de Ortiz e Bertolluci [10], que apresentou o objetivo de verificar a presenca de alteracoes de linguagem, em pacientes com DA na fase inicial, avaliou 12 pacientes com diagnostico de provavel (DA), utilizando o Teste de Boston e comparou os resultados com populacao sem DA.
Nessa duplicidade de interesse, a suprassuncao se da na filosofia, que pensa a historia, que e a vida e qual seria tal vida senao a vida dos homens?
DA NA SREENY'SEOUSE LDREN NEEUES UNADand Coronation Street actress Wendi Peters tries to beat the clock to make a 1950s-style dress.
A outra viagem, de 1959, Doorway to Brasilia, se da na construcao de um sonho-lugar, de um projeto, tal como o proprio livro o faz, desejando transcender a condicao de edicao impressa para a de proposicao artistica.
O que se passa entre a cidade e o cidadao (incluso o analista) torna-se a apreensao primeira, aquela que se da na e pela experiencia vivida, que e marcada pela particularidade do se fazer na inter-acao dos sujeitos.
O classico e aquele que nunca esgota sua capacidade de provocar, tirar o chao, perturbar, dizer coisas novas, entendendo que a realizacao de uma obra de arte se da na medida em que vai encontrando condicoes de transformar algo que nao havia em coisa que existe.